quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

O que rola no Facebook?


Que fazer parte? Busca Leo Uncutz no Face e me add!

Boa Semana!

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Palavras do autor: Continuação


Ontem foi o dia de uma decisão importante em minha vida profissional. Meio que a contra-gosto aceitei uma proposta desvantajosa de trabalho - mas preferi ficar com esta temporariamente até surgir um novo mais financeiramente interessante.

Acabei beneficiando meu amigo no processo pois tirei uma demanda que caberia a mim e passei pra ele... Digamos que tudo que meus chefes querem que eu faça vale muito mais do que me foi ofertado. Como não tenho muita segurança / conhecimento em uma dessas coisas, resolvi indicar meu amigo para gerenciar essa função.

Com entusiasmo, entrei em contato e pedi para ele passar no escritório após sair de seu estágio. Ele disse que o faria. Por alguma razão que ainda não sei bem, ele não passou.

Fiquei arrasado.

Como ele ousa desprezar uma coisa tão bacana (e que verteria grana pra ele) que decidi fazer? Passei o final do dia e a noite mal. Mas eis que, talvez arrependido pelo furo, ele entra em contato comigo:

"Vamos amanhã juntos (para o trabalho)?"

Meio que ainda um pouco chateado respondi apenas um "ok". Ele respondeu com um "Foi mal".

Hoje, 16/01, viemos juntos de metrô até nossos destinos de trabalho. Confesso que estou radiante e feliz. Conversamos durante uns 40 minutos e tipo...

Eu não sei explicar pra vocês mas só a presença (física) dele me deixa MUITO BEM. Me sinto preenchido por uma energia (?) positiva que me faz ficar bem. Ele me dá um gás, ânimo e motivação de querer nunca desistir de me especializar e aperfeiçoar. Como se eu não quisesse ficar obsoleto, velho e ultrapassado.

E afirmo com o coração: estar junto dele não me desperta qualquer tipo de tesão ou desejo sexual. Só quero estar perto. Compartilhar assuntos e experiências.

Uma coisa que observei é que ele gosta MUITO de conversar comigo sobre trabalhos e estudos. Mercado, oportunidades, tendências, qualidades... Com relação a vida pessoal / privada, me dei conta que ele não gosta de se envolver comigo... Até vai a eventos mais sociais com sua namorada; mas se eu o chamar pra um barzinho, ou mesmo uma praia...

Não sei realmente o que pensar a respeito disso. Me disseram que estou apaixonado por ele. Talvez esteja. Mas é uma paixão onde o desejo sexual não vem em primeiro plano. Pode isso? Estava pensando se não existe algo "espiritual" entre a gente. Não sou praticante de alguma religião mas as vezes me impressiona alguns relatos sobre liga ligações espirituais entre almas.

Resumindo: eu quero que esse cara seja meu melhor amigo, esteja sempre preto de mim, esteja disposto a me ajudar - da mesma forma como sempre estarei disposto para ajuda-lo. Acho que meu problema pode ser o fato d'eu ter vivido uma experiência muito intensa (e além) com um homem no passado e tudo ter sido rompido de forma brusca e com um saldo de (imensa) perda pra mim.

Em uma busca que dura até hoje por alguém que possa substituir aquela amizade que eu perdi o controle (por imaturidade e inexperiência de vida, talvez), acredito que o destino tenha se encarregado de me apresentar uma "versão mais atualizada" do meu amigo do passado para que eu pudesse "ter outra chance".

Sim eu sou romântico, viajo na maionese, etc.

Considero esse cara um grande e importante amigo.

Resta aprender a lidar com a intensidade dos sentimentos que tenho acumulados (não adianta: ele vai estranhar e de certa forma com razão) e ter sabedoria para valorizar o que ele entende como amizade. Acho que gostamos um do outro, mas no contexto da amizade que existe entre nós, cada um lida de forma diferente com o que ela: eu sou o cara que saiu de algum seriado norte-americano dos anos 90 (como Friends, Dawson's Creek...) e ele um personagem de mangá que mais valoriza lealdade e ações decisivas que ações e discursos prolixos.

Bom final de semana.


quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Palavras do autor: De novo o mesmo erro?



Pra quem conhece o blog a pouco tempo, gostaria de informar que as vezes eu deixo a putaria de lado e faço uns posts meio "cabeça". Geralmente sobre algum fato da minha vida pessoal que gosto de compartilhar com "os outros" em uma expectativa que alguém que leia diga alguma coisa legal ou me aponte uma luz acerca para situação.

Resumindo rapidamente minha vida gay; por volta dos 12, 13 anos eu despertei uma imensa curiosidade em saber como era o corpo de outros meninos da minha idade. Essa curiosidade, sempre frustrada e abafada, passou a despertar um desejo por experiências sexuais descompromissadas que nunca se concretizaram. Por volta dos 15 anos, me dei conta que já sentia um forte tesão por homens e para boicotar isso, decidi "forçar a barra" me assanhando com meninas. Acho que por conta da sexualidade ainda estar se definindo, consegui "conter" até por volta dos 18 esse furor hormonal.

Mas foi só eu passar a "relaxar" que o destino me pregou uma (deliciosa) peça: ao frequentar o vestiário da escola, no último ano do ensino médio, eu passei a ver o corpo nú de diversos amigos e colegas e aquilo fez com que o desejo latente reacendesse. As masturbações solitárias agora tinham um foco mais concentrada em imagens de amigos como vieram ao mundo. As gozadas eram mais potentes e a sensação de "culpa" de alguns anos atrás era mais leve. O fim da escola me fez acreditar que aquela "fase" da vida também poderia ser dada como encerrada...

Com 18, conheci um rapaz pelo qual me apaixonei. Se tornou meu melhor amigo e sem querer (querendo?) fui nutrindo um sentimento por ele que foi crescendo e criando raízes em meu coração que nem me dava conta da força tinham. Os galhos eu sempre buscava podar para tudo permanecer com harmonia e nenhum constrangimento. Por mais carinhoso que fosse, por mais "amigo de série de TV" (aquelas amizades perfeitas que são retratadas em enlatados americanos e que sempre sonhei em ter na vida real...) que ele era; o fato é que ele só era capaz de sentir um amor fraterno - de irmão.

Já minha mente juvenil e imatura alimentava um amor impossível que se alimentava de migalhas de atenção, gentilezas, sorrisos, abraços e pequenas declarações e demonstrações de como eu era um cara de sorte de conhecer alguém tão ímpar. Quando ele conseguiu uma namorada; meu mundo caiu. Sem conseguir saber como curar a dor daquela situação, eu decidi namorar uma menina da faculdade. Com um band-aid eu tentei tampar uma ferida profunda. Não deu certo pois ele, em um momento de fragilidade após o término de sua relação, me buscou para ter conforto. Eu evitei pois sabia que não seria capaz de conter meus reais sentimentos.

Em um súbito momento de total falta de racionalidade e movido pelo teor etílico em meu sangue, eu despi seu lindo corpo enquanto dormia e fiquei a admira-lo enquanto me masturbava. Ele acordou. Não entendeu nada daquilo e nossa amizade chegou ao fim ali naquele dia.

Sofri muito e prometi que jamais cometeria o mesmo erro.

Mas um vazio em meu coração e a necessidade de buscar alguém para preencher pelo menos o vácuo que se instaurou sem meu melhor amigo me torna até hoje um homem angustiado. Quero um melhor amigo. Sinto a falta desta porção que perdi em minha vida. Alguém com quem compartilhar os melhores e piores momentos. Para ficar a toa sem fazer nada e achar que está fazendo a melhor coisa do mundo. Para ir ao cinema assistir aos filmes de super heróis da temporada e ter discussões que varam a madrugada. Para lembrar quando você está fazendo algo legal sozinho e mandar uma foto falando "vem pra cá". Sem sexo. Sem desejo. Só amizade.

Em alguns momentos eu até consegui encontrar um "substituto". Mas logo meu coração se deixou tomar pelo desejo sexual e novamente eu me flagrava com vontade de ter alguma intimidade com aquele "novo melhor amigo".

Me afastei. E me afastei de novo. E de novo... As pessoas queriam explicações e convenientemente falava que a vida estava corrida. Insistiam em me querer. Mas tinha medo de continuar aquelas relações e eu "querer eles" de uma forma torta; novamente indo além do formato de amor que eles eram capazes de sentir por mim.

Mais velho e mais certo do que gosto (homens), me permiti ter experiências (Finalmente! Minha primeira vez com outro cara foi aos 26 anos, acreditam?) mas a vontade de ter um melhor amigo ainda estava lá. Tentei ter um melhor amigo gay. Não deu muito certo... Foi ai que o destino se encarregou de me pregar uma peça um pouco cruel.

Com a mesma idade que conheci meu ex-melhor amigo (18 anos), conheci um rapaz que lembra MUITO o comportamento do meu primeiro amor. A princípio achei a situação pitoresca. Fui me aproximando pouco a pouco e em dado momento já sentia que estava de novo com um "melhor amigo" - 12 anos mais novo que eu.

Não foi difícil estabelecer uma "conexão" de universos (apesar do hiato da idade, eu sou um cara que muitos apontam ter uma "mente jovem") entre eu e esse rapaz, só que eu acreditei que seria capaz de conter a onda. Contei pra ele que curto caras... Ele, como a maior parte das pessoas de sua geração, não fez disso uma tempestade em copo d'água e encarou com naturalidade, inclusive demonstrando uma (fofa) postura de apoio. Só que isso, digamos, de uns "pontos extras" no meu afeto para com ele.

Confesso que não passa pela cabeça ter algum envolvimento sexual com ele. Se nunca passou? Já sim... Ainda mais depois de saber que ele é uncut e que quando era mais novo, se relacionava sexualmente com travestis (perdeu a virgindade com um) e tem um melhor amigo que fazia "meinha" quando tinha uns 16 anos (coisa recente levando em consideração a idade que tem...).

Estou gostando dele mas não sei como chamar este sentimento.

Quero protegê-lo. Quero ajuda-lo (e ajudo! consegui um estágio ótimo pra ele e com sua inteligência acima da média ele está com tudo pra ser efetivado em breve). Quero fazer coisas com ele o tempo todo. Ir junto pro trabalho. Voltar junto. Pensar em projetos. Construir sonhos. Dividir alegrias, sucesso e dinheiro.

Um irmão mais novo. As vezes tenho pra mim que é assim que minha mente e coração o enxerga. Só que... Talvez não.

A diferença de idade (e uma certa circunstância de vida pessoal...) faz com que tratemos amizade de uma forma muito diferente. Sou aquele amigo que manda mensagem de Bom dia. Bom almoço. E aí, tudo bem hoje? Se vejo algo que sei que ele gosta, não hesito em mandar uma foto. Uma vez um professor de pré-vestibular me disse que você sabe que uma determinada pessoa é um amigo muito querido quando você, aleatoriamente, se depara com algo e pensa: "fulano ia adorar isso". Já ele (e parte de sua geração) só sabe ser amigo "insultando", "desprezando"... Sabem o Vegeta do desenho Dragon Ball Z, ou o Ikki dos Cavaleiros do Zodíaco? É de um jeito mais "frio" que ele (e esses personagens) demonstram sentimentos de amizade. Porém eles valorizam muito (mas MUITO) atitudes e ações.

Lealdade: é o sentimento que ele abertamente me disse que mais valoriza.

Penso nele muito. O dia todo. E as vezes... Sofro.

Nas últimas semanas eu tenho "perturbado" ele um pouco demais. Estou com problemas no emprego e tenho desabafado com ele e outros amigos. Mas a diferença de idade se monstra nesta circunstância que faz ele ter um comportamento tão indiferente que tive que secamente ouvir dele...: "eu não posso fazer nada pra te ajudar nem tenho nada haver com isso". Isso foi como um soco na boca do estômago. Mas o que eu poderia querer de um moleque que tem "tecnicamente" idade pra ser meu filho?

Resolvi "dar um tempo" de ficar mandando mensagens via WhatsApp ou Face Messenger. Foram os piores 2 dias da minha vida. Tudo porque ele simplesmente não mandava um "oi" ou "tá tudo bem?".

Será que ele não liga pra ser meu amigo?

Infelizmente testemunho o ego dele começar a ser inflado em virtude de seu enorme êxito profissional, mesmo sendo novo, que abre um leque para um novo circulo social muito sedutor: o de amigos de trabalho que possuem um perfil qualificado. Imagine que você é um ótimo e reconhecido médico. Acho que a maior parte das pessoas que são plena e totalmente consciente que são acima da média gostam de se relacionar com pessoas que sejam também desta forma. Não rejeitam quem não seja, mas na hora de "ir almoçar", prefere o amigo que é tão inteligente quanto pelo sabor da conversa.

Mesmo estando em áreas relacionadas profissionalmente falando, eu não sou ainda um cara tão excepcional no que me proponho a fazer. Em contra partida, ele em menos de 1 ano se aperfeiçoou de forma assustadora.

Não resisti a "tempo" sem trocar uma mensagem e falei que não estava aguentando aquilo. Singelamente ele mandou uma mensagem dizendo:

"tamo junto sempre".

Dá pra imaginar como fiquei né?

A questão toda é que confesso que não sei dizer o que tá acontecendo comigo. Estou apaixonado? Sou apenas um cara carente demais que deveria se consultar com um psicólogo com regularidade? Ele é hetero... Tem namorada... Sei que "desse mato nunca vai sair cachorro". Então porque ele se tornou tão importante e vital na minha vida? Será ele o preenchedor do furo que minha alma possui a anos? Será que se eu mantiver essa amizade vou acabar cometendo de novo o mesmo erro de anos atrás?

Desculpem. Precisava desabafar.

Abs.

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Vídeo: Mostrando o que tem de melhor!

O vídeo é curtinho mas o cara mostra de forma bem objetiva o que tem de melhor dentro da cueca =).

video

No Kik Messenger você pode buscar por souncuts e me adicionar para fazer parte do nosso NOVO GRUPO que já está BOMBANDO!

sábado, 10 de janeiro de 2015

Uncuts de Aplicativos 1

 

Não importa o sexo ou a preferência: todo mundo tá se jogando nos aplicativos pra putaria que existem nas "stores" da Google ou Apple da vida. Você até pode encontrar alguém MUITO gente boa que valha a pena engatar uma relação, mas que tem gente ali só interessada em pegação e "fast-fooda"... Como tem!

Confira alguns gringos capturados destas maravilhas móveis e diga nos comentários qual o seu favorito! Indique também bons aplicativos aí pra galera... Eu tenho vontade de fazer um só pra uncuts, mas não manjo de programação e meu melhor amigo (que saca muito) é hetero demais pra encarar uma parada assim =x.

Algum uncut programador que visite o blog se dispõem a ajudar? Rsrsrs..

 01. O loirinho dos olhos azuis


02. O pequeno zangadinho


03. O garotão dos azulejos


04. O magrinho do pau grosso


05. O sedutor da tatuagem


06. O loirinho saradinho


07. O boy delicinha


Clique nas fotos para ver as fotos em tamanho real ;).

No Kik Messenger você pode buscar por souncuts e me adicionar para fazer parte do nosso NOVO GRUPO ;)

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Ainda calor!



Continuando as postagens de verão, mais algumas fotos de caras uncuts se livrando do calor - para nossa alegria \o/.






Clique nas fotos para ver as fotos em tamanho real ;).

No Kik Messenger você pode buscar por souncuts e me adicionar para fazer parte do nosso NOVO GRUPO ;)

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Tá calor...



É verão, temperatura na casa dos 40 graus e nada melhor que se divertir numa piscina né? E se nessa piscina tivesse um modelo brasileiro e uncutão!? Cliquem nas fotos para ver em todos os detalhes visão deliciosa!










Face parte do nosso Face! Me add como amigo (https://www.facebook.com/profile.php?id=10000876597665).

No Kik Messenger você pode buscar por souncuts e me adicionar ;)